html Blog do Scheinman: Brasil: É melhor ser mendigo do que professor

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Brasil: É melhor ser mendigo do que professor

Quanto ganha um professor de nível médio da rede pública???
Não sei exatamente... Sei apenas que não é mais do que 1.000 reais.
É um bom salário? Talvez... se comparado com outras profissões é até bom. Uma empregada doméstica ganha quase isto, embora não precise ter curso de pedagogia. Estagiários de todas as áreas, ganham menos do que este valor, embora somente em roupas, estacionamento e livros seus gastos excedam estes 1.000 reais...
Mas, que tal dizer, que é melhor ser mendigo do que professor da rede pública??? É uma afronta? Uma comparação vexatória? Uma sacanagem de minha parte? Pode ser, mas este é o nosso Brasil. Vamos aos cálculos:
Um sinal de trânsito muda de estado em média a cada 30 segundos (trinta segundos no vermelho e trinta no verde). Então, a cada minuto um mendigo tem 30 segundos para faturar pelo menos R$ 0,10, o que numa hora dará: 60 x 0,10 = R$6,00.
Se ele trabalhar 8 horas por dia, 25 dias por mês, num mês terá faturado: 25 x 8 x 6 = R$ 1.200,00.
Será que isso é uma conta maluca?
Bom, 6 reais por hora é uma conta bastante razoável para quem está no sinal, uma vez que, quem doa nunca dá somente 10 centavos e sim 20, 50 e às vezes até 1,00.
Mas, tudo bem, se ele faturar a metade: R$ 3,00 por hora terá R$600,00 no final do mês, que é o salário de um estagiário com carga de 35 horas semanais ou 7 horas por dia.
Ainda assim, quando ele consegue uma moeda de R$1,00 (o que não é raro), ele pode descansar tranqüilo debaixo de uma árvore por mais 9 viradas do sinal de trânsito, sem nenhum chefe pra cobrar providências ou perturbá-lo por estar dando um tempo durante o horário do trampo, ou, sendo professor, sem precisar fazer planos de estudo, corrigir provas, preparar aulas, fazer reuniões internas, com pais, atender alunos, reportar-se a diretores, coordenadores, superintendentes, etc. etc.
Mas considerando-se que é apenas teoria, vamos ao mundo real.
De posse destes dados o autor do cálculo (a mim um ilustre desconhecido), informa que foi entrevistar uma mulher que pede esmolas, e que sempre é vista trocar seus rendimentos numa certa panificadora. Perguntou-lhe quanto faturava por dia. Imaginem o que ela respondeu?
É isso mesmo, de 35 a 40 reais em média por dia, o que perfaz (25 dias por mês) x 35 = 875 ou 25 x 40 = 1000, uma média de 937,50 mensais. A senhora ainda informou que não trabalha 8 horas por dia.
Fui pessoalmente checar a informação.
Perto de onde moro, há um cadeirante - elegante pra caramba por sinal, já que está sempre de polo da Lacoste e, no colo uma garrafinha de água com gás - que me informou faturar cerca de 60 reais por dia e que trabalha de segunda a sábado.
Portanto, fatura cerca de 1.500 reais ao mês. Isto sem trabalhar exageradamente, com descanso semanal e sem aproveitar o outro lado do cruzamento. Se utilizasse técnicas modernas de posicionamento e de marketing, poderia até dobrar seus rendimentos...
Moral da História :
É melhor ser mendigo do que professor da rede pública. E ipso facto é pior "dar aula no Estado" do que ser Mendigo...
Se o leitor se esforçar como mendigo poderá ganhar mais do que um professor da rede pública
Ou talvez é melhor estudar a vida toda e pedir esmolas; de repente fazer política estudantil insuflando nossos jovens a fumar maconha, quebrar universidades, invadir prédios e fomentar greves... é mais fácil e melhor do que arrumar emprego.
E o principal, lembre-se :
Mendigo não paga 1/3 do que ganha pra sustentar um bando de salafrários e, ainda há fortes chances de conseguir um bom cargo público filiando-se a um partido bem populista...
Viva a Matemática.
É isso.

Nenhum comentário: