html Blog do Scheinman: Sexo caliente: casal é indenizado por fogo em motel durante noite de núpcias

domingo, 22 de março de 2009

Sexo caliente: casal é indenizado por fogo em motel durante noite de núpcias

O Caso

A 9ª Câmara Cível de Porto Alegre condenou um motel a indenizar em R$ 7 mil um homem que teve sua noite de núpcias interrompida por um incêndio na súite em que estava com sua companheira.

Por unânimidade, os desembargadores entenderam que o estabelecimento é responsável pela reparação dos danos aos clientes independentemente de culpa no incidente.

De acordo com os autos, o incêndio em um dos quartos do Motel Vision foi causado por defeito na instalação do aquecedor da sauna seca, que não estava que não estava devidamente vedado para isolar a passagem calor e energia.

Com o alastramento do fogo, o casal foi obrigado a sair às pressas do quarto, em trajes inapropriados, interrompendo abruptamente a noite de núpcias.

A mulher do apelante já havia sido indenizada em decisão do Juizado Especial Cível referente à ação ajuizada somente por ela. 
O autor da ação recorreu contra decisão de 1ª instância que lhe negou indenização sob o argumento de que sua esposa já havia recebido reparação no mesmo valor.

Entretanto, para o desembargador Odone Sanguiné, relator do recurso do, a existência de ação indenizatória já ajuizada pela mulher, não afasta a possibilidade de reparação ao marido. “Visto que os efeitos daquela decisão alcançaram tão-somente a cônjuge mulher e o motel demandado", disse em seu voto.

Para Sanguiné, não é possível cogitar neste caso a existência do chamado litisconsórcio necessário, obrigando as partes ao ajuizamento conjunto de ação.

O relator destacou também que o CDC (Código de Defesa do Consumidor) estabelece a responsabilidade do fornecedor do serviço, no caso o motel, só pode ser afastada quando comprovada a inexistência do defeito.

Votaram de acordo com o relator, a Desembargadora Marilene Bonzanini Bernardi e o juiz convocado Léo Romi Pilau Júnior.

De fato a notícia seria até cômica, não fosse trágica.

A Filosofagem

Imaginem a cena: o casal alí, no bem bom, curtindo o esperado momento pós-enlace quando sente aquele calor estranho: “– amor, você está tão quente que nem eu? “-estou louco, tanto que sôo em bicas”. “ – benhê, tô até com aquele fogo no rabo”. “ – Tá mesmo, a cama está pegando fogo… FUI!!!!

É realmente um absurdo. Hoje os motéis são tão incrementados, tão cheios de atrações e inventos que o casal até esquece o que foi fazer lá. Na minha época de faculdade, tínhamos um amigo que dizia que gostava de ir a motel sozinho. Tomava banho de piscina, fazia sauna, hidromassagem, recebia o almoço incluso na diária, dava um cochilo e chegava em casa feliz e descansado… É uma idéia um tanto esquisita, mas tem lá sua lógica.

O fato é que esse mundo do ambiente destinado ao sexo tem tomado um espaço cada vez mais amplo na vida dos casais de namorados, noivos, ficantes, etc. Foi-se o tempo da arte de transar no carro e em que um casal conseguia fazer um 69 no banco dianteiro de um fusca. Mas isso é assunto para uma outra postagem…

Pelo menos evita-se situações de risco aos menos avisados. Nos dias atuais, nada de brincadeirinhas nas escadarias dos edifícios, atrás da moita, dentro dos carros ou nos drive-ins, onde o perigo também é constante.

Não faço aqui a apologia ao motel: pelo contrário. Parto do pressuposto de que deve ser uma opção na ausência de outras mais convenientes. Aliás das matérias que ando lendo nas revistas femininas ou artigos na net, tenho sentido uma certa reprovação das mulheres ao sexo em motéis. Muitas sentem-se até ultrajadas se a solução é um local com a diária fracionada.

Mas, de qualquer forma, nos dias atuais, a segurança fala mais alto, contanto que o frequentador não seja surpreendido com um sexo tão caliente a ponto das labaredas tomarem conta de seu quarto.

É isso.

Nenhum comentário: